Notícias

Empresas com acesso às linhas de Crédito Capitalizar de 1.600 milhões

Publicado em 02-02-2017

As pequenas e médias empresas (PME) podem a partir de dia 1 de fevereiro (quarta-feira) recorrer às cinco linhas de Crédito Capitalizar, com um montante global de 1.600 milhões de euros, junto das instituições financeiras, de acordo com o Ministério da Economia. Espera-se que o Crédito Capitalizar venha a apoiar cerca de 20.000 empresas.

As linhas Capitalizar foram lançadas a 16 de janeiro e passam agora a estar disponíveis nos bancos que assinaram os protocolos. A linha de Crédito Capitalizar, que se insere no programa Capitalizar, é gerida pela PME Investimentos em articulação com o Sistema Nacional de Garantia Mútua, destinadas a PME com montantes de financiamento por empresa entre 25 mil e dois milhões de euros e com prazos entre três e 10 anos.
O Crédito Capitalizar está estruturado em cinco linhas: Micro e pequenas empresas; Fundo de maneio; Plafond de tesouraria; Investimento geral; e Investimentos projetos 2020. A linha Micro e Pequenas Empresas tem uma dotação de 400 milhões de euros e visa potenciar o acesso a financiamento para investimentos em ativos e reforço de capitais, enquanto a de Fundo de Maneiro conta com uma dotação de 700 milhões de euros e tem como objetivo financiar necessidades de fundo de maneio das empresas com financiamentos de médio prazo, em alternativa ao crédito de curto prazo. Já a linha Plafond de Tesouraria, com uma dotação de 100 milhões de euros, pretende alargar a oferta de crédito em sistema de revolving, dando uma maior flexibilidade à gestão corrente de tesouraria, segundo a tutela. A linha Investimento Geral conta também com um orçamento de 100 milhões de euros e visa financiar investimentos em ativos com elevado prazo de recuperação.
Com o montante de 300 milhões de euros, a linha Investimento Projetos 2020 pretende alargar a oferta de crédito bancário para financiamento de projetos aprovados no âmbito do Portugal 2020, com enfoque em despesas elegíveis e outros segmentos de mercado em que a Linha de Crédito e Garantias IFD 2016-2020 possa vir a relevar-se insuficiente, segundo o ministério.
“São linhas que pretendem dar dinheiro às empresas com prazos mais favoráveis do que a banca consegue conceder, como também spreads mais baixos, permitindo assim às empresas, em particular às pequenas e médias empresas financiarem-se num contexto mais amplo do que as linhas que já tínhamos lançado anteriormente”, afirmou o ministro à Lusa a 16 de janeiro.

Fonte: Observador

Destaques

10-03-2017
Prémios Europeus de Promoção Empresarial | Candidaturas até 12 de abril
02-03-2017
COMPRAS AGREGADAS DE ENERGIA ELÉCTRICA - LEILÕES
14-02-2017
PROJETOS DE FORMAÇÃO-AÇÃO NA NERPOR-AE

Eventos

Setembro 2017
S D
28 29 30 31 1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 1

Contactos

Morada: Parque de Feiras e Exposições de Portalegre
Apartado 202
7300-901 Portalegre
-----
Telefone: 245 302 300
Fax: 245 302 301
E-mail: nerpor.ae@mail.telepac.pt

Newsletter